fbpx
google analytics

Tráfego pago: vale a pena investir?

É certo que o nosso objetivo é aumentar a audiência do seu site, não é mesmo? Sabemos que há várias formas de fazer isso.

Na hora de vender um produto é interessante ver os caminhos que podem ser percorridos. Como exemplo disso ensinamos a você tudo sobre tráfego orgânico no último artigo.

Também te mostramos rapidamente as vantagens de se utilizar o tráfego pago, apesar de se ter um custo maior em relação ao orgânico.

Neste artigo vamos te mostrar tudo o que você precisa saber sobre tráfego para alavancar de uma vez as visitas no seu site e as vendas do seu infoproduto.

Antes de começar você precisa saber o que é o tráfego pago.

O que é tráfego pago?

Facebook Ads

São basicamente anúncios, mostrados tanto nos buscadores como também nas redes sociais. O Facebook detém o maior número de anunciantes pagos da atualidade, seguido do Instagram, do Youtube e do Twitter.

Esses anúncios são conhecidos popularmente como link patrocinado.

Você com certeza já pesquisou algo na internet como um tênis e achou o anúncio do produto que pesquisou no Facebook, né. Isso é o tráfego pago agindo “sorrateiramente”.

É possível comprar anúncio também para os buscadores. Aqui o nome é Google Ads. Ele basicamente destaca os links em uma pesquisa na internet. Mas também temos o Facebook Ads (mencionado acima), Youtube Ads e o Bing Ads.

O objetivo é exibir para atrair, e funciona bem porque o retorno é rápido.

Vertentes de tráfego

Para você ter certeza se vale a pena ou não investir nesse tipo de tráfego, separamos para te mostrar alguns deles para um rápido comparativo.

Como principais tipos de tráfegos, além do pago, nós encontramos o tráfego orgânico – que já fizemos um artigo sobre, o tráfego social, o tráfego direto e o tráfego de referência.

1. Tráfego orgânico

Aqui são aplicadas em sua grande maioria dos casos as estratégias de SEO. Ele é o inverso do tráfego pago. O custo é menor do que o pago, mas é mais trabalhoso e também é necessário ter paciência para aguardar o retorno do trabalho na audiência.

Aqui há grande influência de pequenos elementos no sucesso do aumento das visitas em um site.

Como por exemplo os títulos das postagens e as palavras-chave. São essas duas e diversas outras coisas que vão determinar o ranqueamento no buscador.

2. Tráfego social

redes sociais

Este é nada mais do que a audiência conquistada através das redes sociais. Se você tem um produto, é interessante que tenha perfis profissionais em redes sociais para que este seja anunciado.

Os possíveis consumidores irão ao seu site a partir da rede social e é isso que chamamos de tráfego social.

3. Tráfego direto

Quem vai te dar a informação de quem é seu tráfego direto é o Google Analytics, uma excelente ferramenta.

Esse tráfego é formado por visitantes que foram direto ao seu site sem ter passado por nenhum lugar antes – por algum motivo eles já sabem seu endereço.

É um público que já pode ser seu consumidor e conhece seu endereço, ou chegou ao seu site por indicação de alguém.

4. Tráfego de referência

Atenção, aqui pode acontecer uma confusão. Tal como o tráfego direto, no tráfego de referência há uma indicação, mas de um site para o outro, exatamente como uma referência.

Geralmente encontra-se mais em parcerias de sites com outros para justamente aumentar a audiência de ambos.

Mas a pergunta que não quer calar, por que investir em tráfego pago?

Porque ele tem vantagens. Sabe quais?

Você tem muito mais chances de aparecer nas primeiras posições dos buscadores do que utilizando apenas o tráfego orgânico.

Para isso, você precisará apenas criar um anúncio e definir algumas coisas como palavras-chave, público-alvo etc.

É mais caro? Sim, mas aqui o retorno é rápido, bem rápido. Sua visibilidade aumenta instantaneamente assim que o anúncio é aprovado. Lembrando que você só paga quando alguém se interessa e clica no seu anúncio.

Conclusão

Há inúmeras formas de aumentar a audiência do seu site para vender mais. O que é necessário ser feito é a adequação para o seu objetivo. Qual é o melhor tipo de tráfego? Depende. O ideal é aliar os diferentes tipos de tráfego para alcançar os melhores resultados.

Tem alguma dúvida sobre esse assunto? Já fez alguma campanha paga no Google ou Facebook? Conta sua experiência pra gente nos comentários.

Como gerar audiência com tráfego orgânico

Você sabia que ser notado na web é de longe o mais importante para o crescimento do seu negócio? Sim, é verdade. É o chamado tráfego orgânico que vai impulsionar as vendas do seu infoproduto.

Mas o que é o tráfego orgânico? Por que ele é importante para o meu negócio? O tráfego orgânico é pago? Como gerar tráfego orgânico para o meu site?

A gente tem certeza que a maioria dessas perguntas também são dúvidas suas, não é verdade? Mas fique tranquilo, vamos esclarecer todas neste artigo. Você vai entender tudo sobre tráfego orgânico.

Tráfego orgânico

Tráfego orgânico é toda e qualquer visita em seu site ou e-commerce oriunda dos buscadores na internet e das redes sociais. É nele que você vai ser notado em determinada posição, e é também o que vai fazer o visitante ir ao seu site.

Ele possibilita que empresas possam, de maneira gratuita, melhorar suas posições nas páginas de buscas. Isso, claro, envolve técnicas de otimização de pesquisa.

Há duas formas de análise do Google, a análise própria e a análise de visitantes. A diferença é que na análise própria, isto é, do site, é visto o tempo de carregamento do site e a relevância da informação; em relação aos visitantes é visto o número de cliques, o tempo de permanência e os comentários.

Esse aumento de visibilidade vem através de técnicas do Search Engine Optimization, o SEO. É basicamente a estratégia que proporciona aparecer na frente dos seus concorrentes nas buscas.

Por que o tráfego orgânico é importante para o meu negócio?

Há incontáveis usuários da internet neste momento em buscadores atrás de informação. A maioria utiliza o Google, mas eles estão também no Bing e no Yahoo. A navegação online não para. Por isso que é seguro dizer que os buscadores são a base da web.

É através deles que vendas são realizadas, cursos são produzidos, ministrados e onde recebe-se dinheiro também.

Vale ressaltar que as redes sociais também têm um papel fundamental nessa divulgação de produtos, mas os buscadores ainda são maioria quando falamos em vendas.

O tráfego orgânico representa uma enorme parte do tráfego de um site, colaborando para o aumento gradativo de visitas

O tráfego orgânico é pago?

Está aí uma pergunta que causa bastante confusão. Tráfego orgânico e tráfego pago são coisas diferentes.

O orgânico, como dito acima, é basicamente utilizar as estratégias de SEO para conseguir mais visitas para o site. Já o pago, é basicamente pagar por tráfego.

Vejamos detalhadamente as diferenças:

Tráfego pago

Apesar de parecer mais fácil, é mais caro. Os custos são mais altos porque além de ter de pagar pelos anúncio nos buscadores, você precisa pagar também pelos mesmos anúncios nas redes sociais. O ponto positivo é que o retorno é mais rápido.

Tráfego orgânico

Aqui a grande vantagem é o menor custo, mas o trabalho é dobrado em uma comparação ao tráfego pago. Através das técnicas de SEO aplicadas, os resultados, que não são instantâneos, tornam-se consolidados.

O esforço é maior pelo ranqueamento nos buscadores. O custo aqui mesmo é na produção de artigos para atrair visitantes, na otimização do seu site e na hospedagem.

Agora vamos ao que interessa né. Precisamos saber como gerar o bendito tráfego orgânico para o site, e chamar a atenção do maior número de visitantes possível.

Como gerar tráfego orgânico para o meu site?

Público

É fundamental conhecer seu público para saber o que escrever e qual nicho abordar.

O público precisa ser conhecido não só pelo nicho, mas também pelo comportamento. Você pode utilizar um ebook-tutorial como isca e coletar os dados dos seus consumidores, como nome, idade, sexo etc.

Com essas informações em mãos você poderá otimizar não só a questão do tráfego, mas também em relação ao aprimoramento do seu infoproduto.

SEO

Utilizando algumas técnicas de SEO é possível melhorar o posicionamento do seu site nos buscadores.

Neste artigo, vamos citar algumas boas práticas que você pode adotar:

seo dicas como gerar audiência para o seu site

1. Contéudo relevante

Aqui nós só precisamos de três elementos para iniciar o trabalho: domínio, blog, e texto. O marketing de conteúdo, ou seja, a publicação de conteúdos no blog – que sejam relevantes, é claro. Isso faz com que o seu site seja percebido na web e conquiste mais visitantes. É ele quem vai propagar a ideia do seu produto.

Se você não domina técnicas da escrita, vai precisar ter redatores que produzam constantemente artigos para que seu site seja notado no ranking. E, claro, esses artigos precisam ser de interesse do visitante e chamar a atenção.

Além disso, o usuário não vai consumir só o produto, mas também as informações ligadas ao produto. Há inúmeras vertentes que podem ser exploradas.

2. Palavras-chaves

São as palavras-chaves que conectam seu público ao seu conteúdo. Quando alguém faz uma pesquisa em algum buscador na internet são elas que vão definir se o seu artigo vai figurar nos primeiros resultados.

3. Título e subtítulos

O primeiro de tudo é o título. É ele quem aparece primeiro. É ele quem chama a primeira atenção do usuário.

Eles são tão importantes quanto o texto. Se o título for desinteressante, o possível visitante não vai abrir o seu site – e a chance de comprar o seu infoproduto cai quase para zero.

Os títulos e subtítulos precisam ser criativos e explicativos, e eles também devem ser otimizados, pois os buscadores reconhecem os títulos como mais importantes para o ranking.

4. URL amigável

Um fator muito importante para ter um bom rankeamento no Google e demais buscadores é observar se a sua URL é amigável.

A Url, sigla para Uniform Resource Locator, nada mais é que o endereço da página. Por exemplo, a URL desse post é xdevs.com.br/blog/como-gerar-audiencia-com-trafego-organico. A dica nesse caso é utilizar palavras-chaves, evitando números e símbolos.

Por último, não se deve alterar a URL depois do conteúdo ter sido indexado para não perder a posição conquistada.

5. Imagens

Uma em cada três buscas é feita no Google Imagens. Então, é interessante também utilizar imagens em seus artigos com o intuito de melhorar seu rankeamento.

Usar imagens de qualidade e leves para não comprometer o carregamento do site, logo, a experiência do usuário é uma boa dica neste caso. Também é essencial definir um título e uma legenda para as imagens no seus posts.

6. Versão mobile do site

Seu site ainda não possui versão mobile?

Saiba que o Google prioriza sites com design responsivo, então se o seu site ainda não tem versão para celular você provavelmente está perdendo muitas posições nas buscas.

7. Construção de Backlinks

A construção de Backlinks ou Link Buildind nada mais é do que a construção de links externos apontando para o seu site, ou simplesmente, a indicação do seu conteúdo em páginas de terceiros. Isso ajuda muito no ranqueamento pois mostra que seu conteúdo é confiável.

Essa “indicação” pode acontecer de forma espontânea, mas existem outras formas de conseguir backlinks como: fazer parcerias com outros sites, criar links para sua própria página nos seus posts, oferecer uma recompensa digital, etc.

8. Infraestrutura da sua página

Fatores tais como velocidade do carregamento, usabilidade e até mesmo a segurança da página são fatores importantes na busca por um bom posicionamento no Google e demais buscadores.

Nesse sentido, tanto o seu desenvolvedor do seu site quanto seu fornecedor de hospedagem poderão te ajudar e muito a tornar sua página otimizada.

Conclusão

O tráfego orgânico pode ser uma alternativa barata e rentável para o seu site ganhar mais visitantes e vender mais o seu produto. Mas é importante prestar atenção nos tópicos acima. A palavra é otimização. Você precisa ser visto e notado, para assim vender mais!

E aí, gostou das nossas dicas? Ficou com alguma dúvida? Conta pra gente nos comentários!

Até a próxima.

Como gerar audiência para o seu infoproduto

Olá, é um novo dia para empreender, sabia? Para aprender também! Há inúmeras formas de empreendedorismo digital. Já mostramos algumas à você, como o infoproduto.

Em nosso blog você encontra aqui e aqui todas as informações sobre o que são, como criar e onde vender produtos digitais.

Hoje daremos mais um passo para o seu sucesso. A audiência é um passo extremamente importante para a venda de um infoproduto, e é sobre isso que a gente vai conversar hoje.

O pontapé inicial é entender a demanda de mercado. Um produto digital revolucionário não vai se vender caso você não tenha público.

Inclusive é perigoso, pois alguém mal intencionado pode copiar a sua ideia, vender e lucrar antes de você – caso você não seja reconhecidamente o dono dela. O ideal para alavancar as vendas é criar o seu público antes de lançar seu infoproduto.

Mas como fazer isso? Bom, inúmeros infoprodutores iniciam primeiro um perfil em redes sociais, atraem um público, criam seu produto e vendem para esse mesmo público.

Um exemplo interessante são os novos escritores. É possível perceber um padrão nas vendas deles. Eles geralmente vêm do Instagram ou Youtube.

Seus textos ou vlogs são publicados diariamente e o público torna-se fiel, e em um determinado momento esse empreendedor lança um compilado de seus produtos – vendendo para esse mesmo público interno e para o externo.

É claro que nem tudo são flores e coisas dão errado. Por isso, você deve aprender com suas ações, principalmente durante o lançamento desse infoproduto. Isso vai determinar os seus próximos sucessos. Vamos ver como isso funciona de verdade? Acompanhe abaixo os passos!

Guia de como gerar audiência para um infoproduto

  1. Criando o seu público
  2. Produto e informações para sua audiência
  3. Lançamento e acompanhamento

Vamos começar!

1. Criando o seu público

Quando pensamos em pessoas no mundo digital pensamos automaticamente em redes sociais. E sim, esse é o melhor caminho. Tudo começa com o compartilhamento de conteúdo nas redes sociais.

A alimentação constante das redes sociais com um conteúdo que realmente ajude as pessoas vai atrair muitos fãs e seguidores. Aliado à isso é possível utilizar promoções e parcerias pode dar um up no perfil.

Conforme o número dos seus seguidores crescer, você vai notar que o relacionamento com a sua audiência vai se estreitando, o que é bastante importante também.

Responder comentários, e-mails e mensagens mostra que o empreendedor é presente, preocupado com seus seguidores e dá a devida importância à eles. Isso ajuda muito na fidelização do público ao seu conteúdo.

Ao notar que seus perfis já possuem um número relativamente bom de seguidores engajados, o empreendedor pode tentar lançar seu produto.

2. Produto e informações para a sua audiência

Nesse ponto, provavelmente você já terá bastante conteúdo publicado. Então, poderá escolher entre lançar um compilado desse conteúdo ou lançar algum material novo ou mais avançado que seu conteúdo gratuito.

É possível contar com o auxílio da audiência para definir o produto. Atualmente há diversas maneiras de colaboração do público. Artifícios como as enquetes e as perguntas do Instagram, mensagens do Facebook, etc.

Você só precisa fazer o anúncio nas suas redes sociais e aguardar as respostas. Não resta dúvida de que o seu público, fidelizado, vai te apoiar e ainda sugerir ideias para esse produto que ele mesmo irá consumir.

Mas, é importante entender que todo produto para ser vendido precisa de algum atrativo ou uma prévia do que está por vir. É interessante separar um grupo seleto de consumidores para fazer alguns testes, e como bônus lançar uma pré-venda para este grupo com um preço menor e mais atraente.

Será necessária uma breve explicação do infoproduto para ambientar os possíveis compradores, depois é só esperar que emitam suas opiniões e futuramente comprem o produto.

3. Lançamento e acompanhamento

Tudo pronto? É hora de colocar o produto à venda! O que vai determinar o sucesso do lançamento é o seu empenho no processo de criação e divulgação do produto.

Como vimos no nosso artigo sobre infoprodutos, é possível utilizar um item digital para vender outro – por exemplo, um ebook ou algumas aulas gratuitas, caso seu produto seja um curso. Esse artifício conhecido como isca digital, faz com que o consumidor se interesse e adquira o produto alvo.

No dia do lançamento é interessante utilizar eventos ao vivo, como uma live no Facebook ou Instagram, para esclarecer possíveis dúvidas do seu público sobre o seu infoproduto, pois serão eles que irão divulgá-lo por aí e fazer a audiência aumentar.

Mas pera lá, problemas acontecem. Durante o acompanhamento das vendas do seu produto você pode perceber falhas. Ainda que sua audiência te ajude a montar seu produto, ele ainda pode ser melhorado e muito! Críticas construtivas são extremamente bem vindas, não se esqueça disso.

Conclusão

Agora você tem um produto de excelência e uma audiência em mãos. Não se engane, o processo de construção desse público até o lançamento do produto leva tempo, mas isso é importante para você conquistar bem esse consumidor e realizar um primeiro lançamento de sucesso.

Daqui para frente você terá como desafio ampliar continuamente sua audiência e também lançar novos produtos para alcançar um negócio sólido. Falaremos sobre isso nos próximos artigos.

Que tal agora tentar? Compartilha com a gente suas principais dúvidas e ideias nos comentários. Até a próxima!

Conheça os temas dos ebooks mais vendidos no Brasil

Você sabia que já publicamos aqui um artigo completão sobre ebooks? Nele nós te explicamos o que é e também como fazer um. Se você ainda não viu, clique aqui.

Para te dar aquele gás e para que seu ebook faça um grande sucesso nós vamos contar para você quais são assuntos mais populares lançados nesse tipo de infoproduto. Que tal ficar por dentro dos tipos de ebooks mais vendidos da web brasileira? Vem com a gente que no caminho a gente explica.

Disparado o assunto mais consumido em forma de ebook na internet é sobre desenvolvimento humano. Aqui são tratadas temáticas de como você pode melhorar sua performance na vida, profissionalmente e no seu comportamento também.

Este é o assunto campeão de vendas. Calma, vamos te dar uma lista dos ebooks mais populares também.

Logo abaixo vem a parte de saúde e bem estar. De acordo com uma pesquisa recente do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, o Ibope, o brasileiro se preocupa mais a cada ano com questões relativas à saúde. Em um comparativo de anos houve um crescimento de interesse no tema de 35% de 2016 para 2017.

Ainda assim, apesar de o assunto preocupar a população, amarga a vice-liderança em argumentos abordados em livros digitais.

Logo abaixo no ranking temos ebooks relacionados a como ganhar dinheiro: métodos, economia, investimento e realização de sonhos materiais. O tema relacionamentos fica por último, geralmente publicado mais por pessoas da área de psicologia.

Tivemos acesso a lista dos 50 ebooks mais vendidos pela plataforma Hotmart, também explorada aqui como popular local virtual de venda de infoprodutos.

Confira:

  • Emagrecer de Vez
  • Como eu Eliminei Mais de 50kg Sem Remédios e Sem Cirurgia
  • Natural Bodybuilding – O Guia Completo de Treino
  • Finanças para Garotas
  • Bolos no Pote – Tudo de Cake
  • Low Carb Sem Mistérios
  • O Manual das Papinhas
  • PROPÓSITO DE VIDA – Prospere Vivendo a Vida Que Você Nasceu Para Viver
  • Como Fazer Doces Para Vender
  • Receitas de Café da Manhã Low- Carb
  • Guia O Método Do Respeito
  • Como provocar orgasmos femininos
  • Receitas Light e Detox Ilustrado
  • Bikini-se – Guia Para Casar Gostosa
  • Fantástico Curso de Iniciação à Wicca
  • Ejaculando Com Controle: Básico e Avançado
  • Apostila Exame de Suficiência CFC
  • Fica Keto 147: Sistema Garantido Para Emagrecimento Com A Dieta Cetogenica + Sopa Keto Gourmet
  • O Guia das Técnicas do Reiki
  • eBook “Alocação de Ativos”
  • E-book – O Milagre das Rosas
  • Manual Completo Como Cuidar de Orquídeas
  • Fórmula Alpha
  • Receitas Detox
  • Corpo e Mente no Controle Total da Ejaculação
  • 1001 Dicas de Fotografia
  • Planilha Fluxo de Caixa – Controle Financeiro
  • Receitas Para Aumentar a Massa Muscular
  • Guia de Imposto de Renda na Bolsa
  • Método Esposa Sábia e Virtuosa
  • Como Investir Dinheiro
  • Receitas Fit e Fácil
  • Livro Negro dos Imóveis
  • Kit Baixo Completo
  • O Verdadeiro Gelato Italiano
  • Pratinho do Bebê – Guia Prático de Introdução Alimentar
  • VOCÊ SABE SE ALIMENTAR?
  • 6 Passos para a Prosperidade Agora
  • Os Segredos da caricatura
  • Tesouro Direto – Guia Definitivo
  • The Beautiful People V2
  • Análise e Planejamento para coleções de moda
  • Sucesso em Vendas e Motivação
  • Planilha de Planejamento de Compras de Imóvel
  • Como Ganhar Dinheiro com molduras de gesso
  • Como fazer queijo frescal caseiro
  • MESAS DECORADAS – FOTOS INSPIRADORAS
  • Deu Merd*
  • 40 Receitas Rápidas, Fáceis e Saudáveis da Cozinha Oriental
  • Manual da Economia Supermecados
    A fonte dessa lista é a própria Hotmart.

Conclusão

Há uma grande variedade de assuntos nos ebooks mais vendidos. Mas tudo depende, se o conhecimento que você detém for um diferencial é bem capaz que também seja rentável, mesmo que não esteja no rol citado anteriormente.

Descubra o tema que mais você tem familiaridade e não se esqueça de olhar o que já tem produzido sobre na web.

Agora é com você, coloque em prática o que sabe. Você poderá impactar diretamente milhares de leitores resolvendo seus problemas com suas soluções.

Preparado para colocar as mãos na massa e começar a escrever seu ebook? Conta pra gente nos comentários!

Quer produzir um ebook de sucesso? Saiba como!

Empreendedor, você sabe o que é um ebook? Não? Conta com a gente, vamos explicar para você direitinho nesse artigo. Inclusive o passo a passo de como montar um.

É bem simples se comparado ao lançamento de um livro impresso. Aqui nós temos redução de custos e venda ilimitada. Isso cheira a dinheiro, né? Então vem com a gente!

Mas antes de te ensinar a fazer um ebook, a gente precisa te explicar o que é um ebook. Vejamos.

O nome ebook significa eletronic book, livro eletrônico no bom português. Mas ele não traz só isso. Há muito por trás do ebook.

Nós sabemos o que significa um livro. É aquele velho exemplar de ficção ou não-ficção. Aqueles que passam por editoras, por grandes processos até sua publicação. A real diferença está aí.

Os ebooks não passam por nenhum desses processos “engessados”. Um livro digital tem inúmeras facilidades. Uma delas é que ele pode ser lido em qualquer lugar, basta um dispositivo que seja compatível para ler (tablet, celulares, o famoso Kindle etc).

Uma das grandes vantagens contidas em ebooks é a facilidade de publicação. Não é necessário um grande investimento. É realmente só escrever e publicar.

Você não precisa se preocupar em vender rapidamente, você não precisa se preocupar com muito custo – e muito menos com o meio-ambiente, já que ele não será impresso.

Há vantagens para os dois lados, para o produtor e para o leitor. O ebook não é pesado, e por isso em um mesmo dispositivo cabem vários. É possível fazer anotações e destaques também. Os dispositivos possuem tecnologia para tal atividade, além de poder destacar e salvar as partes que julgar mais interessantes.

Por isso eles são os queridinhos quando falamos de infoprodutos. Confira nosso artigo sobre eles aqui!

Os livros digitais servem além de tudo como moeda de troca e iscas digitais para formação de leads. Se você já possui um curso online como infoproduto é possível ceder gratuitamente o ebook como uma forma de ‘prender’ aquele consumidor, fazendo com que este fique mais interessado ao que você tem a oferecer.

Qual é o melhor formato para a publicação de um ebook?

Depende. Há inúmeros formatos para ebooks compatíveis com os dispositivos. Os mais encontrados atualmente são o formato ePub e o PDF.
Estes, sim, são lidos em qualquer dispositivo. Mas é importante lembrar que há diferença nesses formatos. A principal diferença é a adaptação dos textos à tela de quem lê.

Formato PDF

Aqui é possível consumir o conteúdo exatamente como uma página impressa, só que digital. Você pode ampliar ou reduzir de acordo com sua necessidade. Este é ideal para ebooks com um grande número de páginas e conteúdo mais complexo.

Formato ePub

Este formato é geralmente mais encontrado em livros de não-ficção e ficção. É utilizado no kindle. Permite a alteração de fonte e busca por palavras diretamente no texto enquanto o leitor lê.

E agora? Como desenvolver um ebook?

Fases

  1. Ideias para o ebook
  2. Delimitação e pesquisa para a produção
  3. Processo de escrita, revisão, edição do texto e estrutura
  4. Definição de palavra-chave e título
  5. Criação de identidade visual
  6. Publicação
  7. Análise e otimização

1. Ideias para o ebook

O ideal nessa fase é que você já tenha algo em mente, uma ideia ou conhecimento importante para transmitir. Você tem uma habilidade que ninguém tem? Pois você tem algo valioso em mãos. É essencial fazer um briefing para organizar direitinho as ideias. Assim você saberá exatamente para qual lado ir.

Selecione as ideias que são mais coerentes ao seu nicho e vá à web para saber o que já foi publicado. Você pode criar algo novo sobre determinada ideia ou simplesmente melhorar as ideias já existentes, adicionando o que você carrega como experiência para os seus leitores.

Assuntos ‘em alta’ no mercado costumam ser mais rentáveis. Tente aliar isso à sua ideia.

2. Delimitação e pesquisa para a produção

Ao escrever uma notícia o jornalista geralmente responde algumas perguntas. São essas: como, onde, por que, quando e quem. O ebook não é uma notícia, mas há perguntas que precisam ser respondidas para que ele seja consistente.

O ebook como infoproduto traz consigo a proposta de resolver um problema do consumidor. Para isso, você precisa entender qual é o objetivo do projeto, do que se trata o conteúdo, qual problema ele resolve. O livro digital é uma ideia nova? Qual é o nicho do projeto?

Assim você estará delimitando mais o seu tema e também deixando a tarefa de escrever seu ebook mais fácil.

Como dito anteriormente, é importante que você vá pesquisar o que já tem publicado sobre seu tema na internet. Se já existe muito conteúdo, se a sua ideia é realmente algo novo e assim tornar o trabalho mais rico ainda.

3. Processo de escrita, revisão, edição de texto e estrutura

Chegou realmente a parte da escrita. Aqui você vai utilizar toda a sua pesquisa e tudo que sabe sobre o tema, a fim de tornar seu material único.

É interessante separar os subtemas em capítulos para tornar a leitura mais fácil para o seu consumidor, não se esqueça que a leitura na web é mais dinâmica.

Tente fazer parágrafos curtos, sem aqueles blocos gigantescos que cansam a vista e não separam as ideias. O fluxo do texto é importante. Quanto mais limpo, melhor.

Use e abuse dos destaques para o seu texto. Negrito e itálico são ferramentas extremamente importantes na hora de expressar e destacar algo importante no seu ebook.

Utilize imagens como complemento de ideias. Tornar o texto atrativo e visual ajuda a não cansar a leitura.

Após o processo de escrita é importantíssimo fazer uma revisão completa da sua obra. Isso inclui estrutura e principalmente identificar possíveis erros de gramática e digitação – que são muito comuns.

Aqui vai uma dica interessante: pedir a um conhecido ou a um profissional que revise sua obra pode ajudar bastante, já que a outra pessoa fará uma leitura à procura de erros que você talvez não tenha visto.

4. Definição da palavra-chave e título

As palavras chaves são de longe as principais ferramentas de busca da web. Toda busca se origina de uma palavra, não é mesmo? Por isso elas são tão importantes. E sem contar que os consumidores utilizam diretamente palavras em busca de soluções no Google.

Definir sua palavra chave é dizer ao buscador que você tem aquele conteúdo. E o seu material, dependendo da audiência, irá aparecer diretamente no buscador em uma posição diferenciada.

Títulos atraentes também são muito importantes. Não o principal da obra, mas também os títulos e subtítulos dos capítulos. Tente escolher aqueles que sejam sedutores e que despertem curiosidade no seu leitor. De acordo com pesquisas, as pessoas tendem a procurar o que desperta curiosidade nelas. Seu ebook precisa de um título bastante atrativo.

5. Criação da identidade visual

O que a gente tem de fazer aqui nessa parte é reiterar o que já foi dito anteriormente. Assim como títulos e subtítulos a capa tem que ser atrativa. As figuras também têm de ser atrativas. A parte visual do ebook desperta a curiosidade no leitor.

Além disso é aqui que você dará uma ‘cara’ ao seu material. Utilize logos e cores familiares que façam o leitor lembrar do seu material em outras oportunidades.

Geralmente uma equipe de design cuida dessa parte, mas há inúmeros sites gratuitos para criar aquele design despojado.

Você conhece o Canva? Ele é um site de ferramentas de design gráfico gratuito! É extremamente simples de mexer e você poderá ter acesso a um número ilimitado de imagens e modelos de gráficos. Aproveite!

6. Publicação

Chegou a hora de publicar seu ebook. Essa publicação pode ser feita no seu site pessoal, ou pode utilizar plataformas como a Amazon, Wattpad, Clube de Autores, Publique-se, dentre outras, para realizar o upload do seu livro.

Existem outras plataformas voltadas para publicação e vendas de produtos digitais, não apenas ebooks, você pode conhecer essas plataformas acessando o linkdo nosso último artigo.

Para divulgá-lo você pode utilizar ferramentas de disparo de e-mails como o e-mail marketing. Anúncios em redes sociais também são bem vindos e te dão uma boa visibilidade. Respeite a data de lançamento estipulada e pronto, seu material está lançado!

7. Análise e otimização

O trabalho após a publicação não acabou. Ainda há o pós-lançamento. Aqui você vai analisar os dados pós-publicação e notar o que pode ser melhorado para próxima edição ou ebook. Através das ferramentas de acompanhamento de métricas fornecidas pelas próprias plataformas de vendas e com o feedback dos leitores você notará se o seu material foi útil.

Conclusão

Os ebooks são excelentes ferramentas. Sua praticidade de produção e baixo custo os tornam bastante atraentes. Escolha bem o tema que deseja abordar no seu projeto, pesquise bastante para que seu material e seja um diferencial na web. Dessa forma você será recompensado com muitas vendas e a multiplicação de suas ideias. É um negócio bom, bonito e barato.

Você tem algum conhecimento que poderia transformar em ebook? Conta pra gente nos comentários!

Saiba tudo sobre marketing de afiliados e as principais plataformas de infoprodutos

Faala, empreendedor. Como vai?

Que tal ficar por dentro mais ainda do mercado de infoprodutos e lucrar bastante?

Como você já deve ter visto produzimos um belo artigo sobre infoprodutos aqui no nosso blog.

Agora chegou a vez de mostrarmos a você sobre as plataformas de venda desses infoprodutos.

Marketing de afiliados, programa de afiliados, estratégia de venda, plataforma de infoprodutos. O que é isso?


Pode ficar tranquilo, a gente vai explicar tudo nesse post. A seguir nós te mostraremos o que é exatamente esse tal de afiliado, e como se tornar um.

E será que vale a pena? Traremos para você também as principais plataformas de vendas desses infoprodutos. E aí, vamos nessa?

Para a gente começar com o pé direito, digitalmente falando, precisamos entender o que é afiliado. Trata-se de um posto de trabalho que vem se consolidando cada vez mais.

Esse profissional tem o objetivo de atrair audiência para um determinado infoproduto e seu produtor. Ele é responsável por realizar as vendas desses infoprodutos.

Mas, e o tal programa de afiliados? Vamos a ele!

Ele geralmente é chamado como Marketing de Afiliados. Trata-se de uma simples representação de vendas, só que online. Funciona basicamente da seguinte forma: uma pessoa (afiliado) escolhe um infoproduto para representar e vender. Para cada produto vendido esse afiliado ganha uma comissão.

É um mercado que vem agradando muita gente. Tudo isso aliado ao aumento de audiência de quem vende e quem revende, além da logística facilitada – o produto é entregue instantaneamente. Legal, né?

Se interessou? Temos boas notícias, você também pode se tornar um afiliado. Como fazer?

Primeiro é necessário que você se cadastre em alguma plataforma de venda de infoprodutos, nós vamos listar algumas para você logo abaixo.

Cada plataforma tem sua peculiaridade, mas você terá de escolher o segmento e o infoproduto apropriado para representar.

Após, é só aguardar que o seu processo seja aprovado pelo infoprodutor para receber as informações de como agir. Ele te dirá o que fazer e como serão os ganhos também.

É importante que você saiba bastante sobre o infoproduto a ponto de poder sanar eventuais dúvidas dos consumidores. Até porque você estará realizando uma venda e precisará convencer.

Trabalhar no programa de afiliados requer bastante determinação, pois dependendo de sua estratégia você poderá facilmente convencer quem quer que seja a comprar aquele infoproduto – e ganhar sua comissão, é claro.

Agora que você sabe tudo sobre afiliados e seu mercado chegou a hora de te apresentar às plataformas.

Selecionamos as quatro plataformas mais importantes atualmente que vendem infoprodutos.

Plataformas de venda de infoprodutos

A primeira que iremos apresentar é uma mais das mais populares no Brasil. A Hotmart cresce astronomicamente a cada ano. Ela é uma das plataformas mais completas e que atendem bem o empreendedor digital, sobretudo o iniciante.

A Hotmart oferece a oportunidade de ser afiliado ou infoprodutor dentro da plataforma, ou os dois.

De acordo com dados da própria Hotmart, sua plataforma hoje conta com mais de meio milhão de usuários e mais de sessenta mil infoprodutos cadastrados. Sim, o afiliado tem um mundo para fazer a sua escolha.

As características da Hotmart também são bem atraentes. Ela conta com: entrega automática de produto e de bônus (comissão de até 80%); nela você pode ser produtor ou afiliado, ou os dois; há flexibilidade, diversas categorias; ferramentas de temperatura que medem constantemente o potencial de suas vendas e ganhos etc.

Além da Hotmart, temos a Eduzz. Esta plataforma é focada nas ferramentas de Marketing Digital.

Ela age de forma a facilitar a venda de conteúdo e de produtos digitais por meio dos afiliados. Diferentemente da primeira, esta não é tão flexível. Mas em compensação a lucratividade vem mais rápida, pois o processo é mais simples. A Eduzz disponibiliza conteúdos em sua plataforma para que você venda seu produto ou torne-se um afiliado da forma mais simples possível.

Como características ímpares da Eduzz nós podemos destacar as seguintes: Ela é integrada a diversos parceiros; é uma plataforma com fácil divulgação e apresentação de congressos e webinários; trabalha com o funil infinito (um atributo do conteúdo); o recebimento da comissão se dá a partir de dois dias após a venda e cai diretamente na conta corrente do infoprodutor e afiliado etc.

Aqui vamos citar também a plataforma Clickbank. Esta é uma das maiores e melhores plataformas de infoprodutos que existem, além de ser internacional.

Mas a tarefa de vender nela não é tão simples. Após o upload do seu infoproduto, a equipe da plataforma fará uma análise minuciosa do seu negócio.

Mas calma, não quer dizer que a plataforma tenha uma “cara” e coloque apenas produtos que sejam compatíveis com essa imagem. Essa análise proporciona um maior ganho ao infoprodutor, uma vez que detecta possíveis falhas que impedirão que o infoproduto venda bem.

Uma peculiaridade desta plataforma é a transparência. Todo cliente tem até 60 dias para testar o infoproduto e saber se gostou. Se preferir, pode comunicar a insatisfação à equipe da Clickbank e terá o seu dinheiro de volta dentro desse prazo.

As principais características desta plataforma são: métrica de popularidade; excelente suporte ao cliente; página personalizada para o afiliado e a tal da revisão de qualidade de um novo produto.

Por último, temos a Monetizze. Esta plataforma brasileira é também focada estratégias de Marketing Digital.

Uma ideia interessante daqui é que há uma integração com diversas plataformas como Aweber, WordPress e leadlovers – tudo isso para que as vendas disparem.

Quais são as suas principais características? Pois então: ela tem hospedagem na própria ferramenta; plug-in de integração com o WordPress; acompanhamento do ciclo de vendas; comissão para todos os envolvidos nas vendas etc.

Conclusão

Todas as plataformas que apresentamos neste artigo são excelentes, claro que cada uma com seu foco e facilidade. É um mercado extremamente lucrativo e que não para de crescer.

Pense bem no objetivo que quer seguir, se deseja ser afiliado ou infoprodutor. Quem sabe você não começa a receber aquela bolada no início de cada mês com esse serviço.

Não tem certeza de qual plataforma escolher? Deixe nos comentários suas principais dúvidas!

Infoprodutos: aprenda o que são e como ganhar dinheiro com eles!

Olá, empreendedor. Quer ganhar dinheiro sem sair de casa? Você veio ao lugar certo! Hoje você vai conhecer os infoprodutos, as maiores oportunidades do momento do mercado digital.

Nós temos no Brasil o quinto maior mercado para negócios na internet do mundo. E a internet por aqui, claro, é a nossa principal plataforma de vendas. E os infoprodutos, comercializados digitalmente, são o ponto de partida para o sucesso. Aqui neste artigo vamos te apresentar os seguintes conteúdos:

O que são infoprodutos?
Quais os principais tipos de infoprodutos que existem atualmente?
Quais as vantagens de se comercializar um infoproduto?
Quer criar seu próprio infoproduto? Nós damos dicas!

Para começar é importante entender o que é essa tal coisa que promete revolucionar o comércio digital.

O que são infoprodutos?

Atrelados ao mundo virtual, os infoprodutos surgiram como uma necessidade de comercialização mais facilitada para alguns negócios. Esses são produtos digitais vendidos em formatos de arquivos que podem ser facilmente baixados em seu computador, acessados via streaming ou com a entrada para algum site visando o consumo.

O mercado digital conta atualmente com diversos tipos de infoprodutos, e nós vamos abordar cada um deles a seguir. Mas aqui vai alguns para exemplificar quais são os mais importantes nesse meio. Temos os ebooks, cursos onlines, clube de membros, audiobooks, podcasts, e-Magazines etc. Ah, e claro, dos mais variados segmentos como negócios e carreira, alimentação e saúde, educação, relacionamento etc.

Mas, e esses tais infoprodutos? Quais são eles?

Principais infoprodutos da atualidade

Talvez o mais conhecido do mundo digital, mas não mais importante, estamos falando dos ebooks. Livros digitais simples, fáceis de serem criados e com distribuição mais fácil ainda. E é isso mesmo, você precisará apenas de um editor de texto como Word, Google Docs ou Writer do LibreOffice para escrevê-lo. Ao final apenas é necessário salvá-lo em formato PDF ou ePub e hospedar para comercializar.

Se você pretende utilizar ideias para conteúdos mais simples e que não necessitem de uma grande parte gráfica o ebook é a sua pedida. Sem contar que ele é muito utilizado também como uma ‘porta de entrada’ para outro infoproduto, como um curso online. Nesse sentido ele normalmente é fornecido de maneira gratuita pelo seu produtor, e o consumidor precisa apenas de um dispositivo compatível.

Os cursos online são o infoproduto mais completo, pois neles ainda é possível agregar outros infoprodutos dos mais variados formatos. No próprio curso é possível encontrar ebooks, as revistas eletrônicas (e-Magazines), os clube de membros (como um fórum de discussão sobre determinado assunto), ou ainda audiobooks, podcasts e screencasts (são gravações da tela do computador enquanto o produtor explica um determinado assunto. É muito comum em gameplay) .

É claro que montar um curso online não é uma tarefa fácil. Aqui trata-se de um conjunto de aulas em sequência lógica. É preciso que o autor do curso domine o assunto ministrado. Esse infoproduto é um dos que têm maior custo, mas em compensação o retorno também é satisfatório.

O tal fórum para discussão que falamos há pouco também tem outros nomes. Ao falar sobre o programa para membros, clube de membros, site para membros ou membership já sabemos que se trata de algo restrito. E é, o programa para membros são sites de conteúdos privados onde apenas quem é membro pode ter acesso àquelas informações. É necessário ser assinante para conseguir acessar. E dentro desse canal é possível utilizar arquivos em texto, áudio ou vídeo.

Os audiobooks são simplesmente um conteúdo em áudio. Assim como os cursos online, aqui também é necessário que as informações tenham um sentido lógico. Geralmente são compactados em formato MP3 para que tornem-se mais leves e possam ir a qualquer lugar que o consumidor quiser levar dentro de seu smartphone ou ipod. Sua produção também é simples como o ebook, mas aqui você vai precisar de um microfone bom e um lugar livre de ruídos para fazer a gravação.

Podcasts não são tão diferentes dos audiobooks, o que varia mais de um para o outro é seu tamanho, conteúdo e local hospedagem/execução. Muito similares a programas de rádio, os podcasts trazem geralmente conteúdos referentes a textos, reportagens, ideias, conceitos e até aulas. E também como os ebooks, os podcasts são a porta de entrada para a compra de outros infoprodutos, como cursos online.

E por último mas não menos importante temos as revistas eletrônicas (e-Magazines). Para ter acesso a essas revistas eletrônicas é necessário ser assinante, ou mesmo visualizar de forma gratuita quando possível. Com periodicidade definida, esta pode ser consumida em diversas plataformas digitais de forma online ou baixada no seu dispositivo.

E quais são as vantagens de se comercializar um infoproduto? Vale a pena? Vejamos abaixo.

Vale a pena vender um infoproduto?

COM CERTEZA! Veja os quatro motivos para começar agora o seu.

1- O seu infoproduto cria asas. O que significa isso? Quer dizer que talvez você nunca mais precise tocar nele, apenas para fazer alguns ajustes ou atualizar. Uma vez criado e hospedado ele cria asas e voa sozinho, vende-se de maneira ilimitada.
2- Produção barata e venda rentável. É certo que alguns infoprodutos são mais complexos que outros e por isso demandam mais investimento e tempo, como o curso online. Mas temos os e-books e os podcasts que como vimos são simples de produzir e vender.
3- Vender sem parar. As lojas virtuais não fecham, por isso você vai poder ganhar dinheiro vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana – mesmo que seja feriado ou fim de semana.
4- Logística. Você precisa se preocupar apenas com uma pequena comissão que precisa ceder ao local que vai vender seu produto. O resto é automático, como a cobrança, o retorno e a entrega do material ao consumidor final.

Faça você mesmo!

Chegou a hora de pôr a mão na massa! Para produzir um infoproduto primeiramente você precisa de um público, você precisa conhecer seu público e sua demanda. É necessário que saiba também qual tipo de infoproduto se adequa mais ao seu negócio para obter o maior sucesso possível.

Defini o tema, e agora? Agora você precisa definir também sua persona.

Mas calma, o que é uma persona? A gente explica. Trata-se de uma representação fictícia de um cliente ideal para o seu negócio. Nesta fase é que você vai decidir o tipo de infoproduto que mais se encaixa ao seu negócio. Essa persona é baseada em dados reais sobre comportamento e característica demográficas dos clientes. É uma das etapas mais importantes da estratégia de marketing digital.

Além das definições no seu briefing você vai precisar de muita pesquisa também. É importante que saiba o que já tem no mercado relacionado ao seu tema, inclusive se o assunto já está “esgotado”.

Produza o melhor conteúdo que puder, isso vai te diferenciar dos concorrentes e seu infoproduto vai ser mais valorizado. Capriche na apresentação do seu produto. É fundamental que você tenha algo que atraia seu consumidor para a imediata venda daquele infoproduto. E por fim só resta hospedar e desfrutar da sua produção!

Conclusão

É importante entender que alguns infoprodutos dão bastante trabalho, outros nem tanto. Envolve diversos processos como pesquisa, planejamento e claro, a execução. A parte boa é que você estará extremamente envolvido nesse projeto porque naturalmente trabalhará em um assunto de seu domínio, o que torna mais facilitado esse processo.

Os infoprodutos chegaram para ficar. Eles são, sem dúvida, uma grande aposta para o futuro do aprendizado digital. Até porque, se você tem um conhecimento que pode facilitar a vida de outra pessoa, porque não transformar em um produto digital e passar adiante?

Como otimizar minha loja virtual WordPress / WooCommerce?

Olá empreendedor, tudo bem?

Você chegou até aqui para tentar entender o motivo de não estar vendendo tão bem quanto esperava em sua loja virtual WordPress / WooCommerce, certo?

Você esta fazendo marketing, esta enviando e-mails aos seus clientes, mas a conversão da sua loja segue baixa.

Hoje eu vou compartilhar contigo o que fazemos para ajudar nossos clientes lojistas a venderem mais.

Os tópicos abordados serão:

  1. Avaliação de velocidade do site
  2. Avaliação do fluxo de navegação
  3. Revisão do marketing pago
  4. Revisão do marketing orgânico
  5. Utilitação de e-mail marketing
  6. Pegadas sociais
  7. Recuperação de carrinhos abandonados

Avaliação de velocidade do site

O Google através do seu blog concluiu que em média um internauta não espera mais do que 3-4 segundos para fechar o seu site, caso ele demore mais tempo para carregar.

Logo, ter um site rápido tem se tornado cada vez mais prioridade entre os especialistas de marketing digital, afinal, queremos sempre o máximo de retorno sobre o investimento em marketing.

Imagina você investir uma grana em marketing pago e seu público nem chegar a conhecer o seu produto? Isso acontece muito por aí.

Para saber se o seu site esta lento, indicamos o uso da Ferramenta GT Metrix. Ao inserir o seu site no campo de teste, a ferramenta retornará gratuitamente uma série de problemas que você precisará resolver com seu programador WordPress.

Os pontos mais importantes a serem observados são: o tempo de carregamento, o peso total da página e a quantidade de requisições que o site esta realizando ao servidor web. Quanto menor melhor.

Na aba PageSpeed, você poderá colher os insights a serem melhorados em seu site.

Sugerimos testar a página de produto do site, que geralmente é a página mais indexada e um destino comum para os seus visitantes.

Avaliação do fluxo de navegação

Apesar de ser um problema bem óbvio de se perceber muitos sites ainda pecam nessa parte. É sábido que deve-se diminuir ao máximo o número de cliques.

Quanto menos cliques para efetuar uma venda, melhor.

Considerando que a maioria dos visitantes chegam através de um artigo do seu blog ou da própria página de produto, faça uma avaliação da quantidade de passos que ele precisa tomar até inserir os dados de pagamento.

Uma dica bônus nesse tópico é remover possíveis links que possam tirar a atenção do fechamento da compra. Muitas lojas virtuais já removem itens dessas páginas, como menu e outros componentes comuns aos sites.

Fazendo isso você já estará acima da média das lojas virtuais do seu segmento.

Revisão do marketing pago

Entende-se como marketing pago a utilização de ferramentas como Facebook Ads e Google Adwords, por exemplo.

Pode também parecer um pouco óbvio, mas muitos lojistas gastam fortunas em campanhas mal planejadas por não dominarem a compra de tráfego e pela falta de planejamento em suas campanhas.

O que sugerimos aos nossos clientes é solicitar o acompanhamento de um profissional qualificado que irá planejar ações de compra de tráfego nos canais que mais fazem sentido a sua marca.

Se não houver uma preocupação em planejar suas ações de compra de tráfego, infelizmente você apenas estará desperdiçando dinheiro e tempo.

Revisão do marketing orgânico

Consideramos como marketing orgânico o tráfego oriundo dos mecanismos de busca e indicação de links.

Pra isso acontecer também é preciso ter uma consistência em produção de conteúdo útil ao seu público, além de ações para tornar seu blog um veículo bem posicionado no mercado.

Esse é o melhor tipo de tráfego, pois tende a trazer resultados constantes na curva do tempo, porém é o que leva mais tempo para retornar resultados, visto que é preciso que o Google considere seu conteúdo importante dentro de alguns critérios.

O objetivo da produção de conteúdo é sempre atingir a primeira página para um conjunto de determinadas palavras-chaves que se quer cobrir. Atingindo o objetivo você estará gerando tráfego pro seu site e possivelmente convertendo visitantes em vendas.

Tenha um plano de produção de conteúdo e forneça gratuitamente informações que vão enriquecer o seu público. As vendas virão por consequência disso.

Utilização de e-mail marketing

E-mail marketing segue sendo uma ferramenta poderosa de relacionamento com seu público, mas muitos lojistas ainda se restringem apenas a divulgação dos seus produtos.

Para fazer diferente é preciso criatividade. Aliada a uma estratégia de produção e conteúdo deve-se nutrir seu público com informações relevantes ao seu nicho.

Divulgar artigos de blogs, informações de outros sites e todo tipo de conteúdo gratuito são boas estratégias para manter um público fiel.

Para ilustrar, poderíamos considerar uma loja virtual de artigos para cozinha, divulgando receitas, eventos gastronômicos para a região do seu cliente, fotos de pratos.

Esse é o tipo de ação que gera vendas naturalmente através de e-mails.

Pegadas sociais

Seu público irá visitar cada rede social sua antes de tomar a decisão de venda. Portante, a sua estratégia de produção de conteúdo deve prever interação nas redes sociais.

Muitos empresários e lojistas online utilizam as redes sociais como “outdors” para promoção de seus produtos única e exclusivamente.

As marcas que se sobrassaem são aquelas que fogem do óbvio e geram conteúdo de qualidade também pelas redes sociais.

Recuperação de carrinhos abandonados

Existe uma métrica atual que indica 30% das possíveis vendas online são perdidas no momento do fechamento da compra.

Isso acontece por vários motivos e é um problema real a ser enfrentado pelos lojistas. A quantidade de carrinhos abandonados é bem alta e tentar reverter isso pode trazer uma receita importante.

No entanto, cada tecnologia de e-commerce tenta resolver isso de um modo. No mundo do WordPress, existem poucas ferramentas a serem testadas.

Aqui na Xdevs, ajudamos nossos clientes constrindo soluções exclusivas de acordo com a necessidade de cada um, aliado ao uso de alguns plugins de recuperação de carrinhos abandonados disponíveis no mercado.

O que a maioria desses plugins fazem é monitorar um carrinho abandonado e enviar e-mails de lembrete em sequência ao comprador para tentar reverter a venda perdida.

Sendo assim, veja seus números no Google Analytics e confira se você também esta sofrendo deste mal. Posso apostar que sim.

Conclusão

Como você pode perceber, são várias os pontos de atenção para ter uma loja virtual de sucesso. Apesar da atividade online ter menos custos, os desafios são tão grandes quanto os dos lojistas offline.

Criamos esse conteúdo para que você possa ter uma real situação da sua operação online. Se precisar de ajuda, deixe o seu comentário aqui abaixo que tentaremos ajudá-lo da melhor forma.

4 motivos para instalar um certificado de segurança SSL grátis no seu site hoje

Olá empreendedores, tudo bem? Você chegou aqui para finalmente instalar seu certificado de segurança SSL, certo?

Hoje eu vou falar sobre a importância e vantagens de ter um certificado de segurança SSL instalado em seu site. Também vou te ajudar a resolver esse problema em definitivo.

Antes de explicar sobre as vantagens do certificado SSL, vou te fornecer uma explicação rápida sobre o que é esse bendito SSL.

O que é um certificado de segurança SSL?

Sabe aquele cadeado verde que os navegadores estão exibindo agora em alguns sites? Dá uma olhada nesse print abaixo:Hospedagem com certificado de segurança SSL WordPress

Esse cadeado indica que o site possui um certificado de segurança SSL e que é seguro.

O SSL é uma tecnologia que garante que os dados que trafegam entre o navegador do visitante e o seu servidor web sejam encriptados.

Ele pode ser gerado por empresas certificadoras ou até mesmo o seu próprio servidor web, a depender da hospedagem que você esteja utilizando.

Independente da origem do certificado, só há vantagem em utilizá-lo.

Vantagens de ter um certificado de segurança SSL

1) Segurança técnica

O uso de um certificado SSL permite que quaisquer dados que seus visitantes digitem em seu site, sejam em formulários de contato ou até mesmo em e-commerces, estejam protegidos de hackers.

Isso é devido a tecnologia de criptografia, que faz com que as mensagens trocadas sejam entendidas apenas entre navegador e servidor.

2) Segurança psicológica

Como dito acima, já há algum tempo os navegadores passaram a indicar se um site é seguro ao identificar a utilização do SSL. Portanto, seu visitante se sentirá muito mais seguro em interagir com seu site e enviar suas informações.

3) Google e SEO

No fim de 2017 o Google passou a priorizar em seus resultados de busca sites que possuam certificados de segurança SSL instalados. Se você tem interesse em ranquear bem no Google, é importantíssimo fazer uso dele.

4) Aumento em vendas

A utilização de SSL comprovadamente ajuda ao aumento em vendas e conversões justamente por conta da segurança oferecida ao visitante, que se sente tranquilo em trocar dados com seu site ou realizar transações.

Como habilitar o SSL em seu site WordPress?

Chegamos a parte principal do artigo. Neste momento, você já deve estar decidido a instalar um SSL no seu site. Abaixo tentarei te indicar o caminho das pedras para resolver esse problema.

Basicamente há 2 caminhos para conseguir adquirir o seu certificado SSL: pela sua própria hospedagem ou por uma certificadora.

Se sua hospedagem for moderna, você poderá facilmente solicitar a habilitação do SSL em seu site (aqui na Xdevs todos os clientes têm SSL gratuito em seus sites).

Caso contrário, será necessário comprar junto a uma certificadora e instalar na sua hospedagem. Neste caso, você precisará de conhecimento em servidores para fazer a instalação do certificado.

Precisa de ajuda?

Reunimos nossa equipe e decidimos que iremos te ajudar gratuitamente a instalar seu certificado de segurança SSL

Basta reservar abaixo um horário para uma sessão diretamente comigo em nossa agenda online. 

Até lá e bons negócios.

Plugin WooCommerce Bookings: Plugin de agendamento para WooCommerce

O ecossistema WordPress só se tornou poderoso pela grande quantidade de serviços e funcionalidades que a comunidade de usuários criou ao redor. Hoje iremos compartilhar ideias de negócios baseadas no plugin WooCommerce Bookings, que tem como principal objetivo realizar o agendamento ou reserva de produtos ou serviços.

O The Shutter Bus é uma empresa que aluga Kombis estilizadas para produção de fotos divertidas em eventos sociais. Seus clientes podem agendar diretamente a locação da Kombi pelo site.

A Capture it Yourself é uma empresa que aluga equipamento fotográfico profissional para casamentos. Ela também oferece edição dos vídeos capturados e serviço de Cloud Storage, fornecendo acesso ilimitado às fotografias e vídeos com resolução total em uma galeria privada, tornando mais fácil o compartilhamento com amigos e familiares.

The Parlour é uma empresa que oferece aluguel de Food Truck de sorvete para eventos. Os sorvetes são artesanais comuns ou veganos, servidos com coberturas feitas à mão, também são oferecidos milkshakes, sundaes, pastéis, cafés especiais e chás.

Serviço de pet móvel preocupado com o bem estar animal e o meio ambiente. Oferecem tratamento para pulgas e carrapatos, massagens terapêuticas e tratamentos para animais idosos ou com problemas ortopédicos. Além disso, utilizam veículos projetados para manter os bairros que visitam limpos e silenciosos.

Sem dúvida, todos os serviços citados são ideias inovadoras que utilizam o plugin WooCommerce Bookings para automatizar todo o processo de venda.

Quem sabe você também não possa criar um novo negócio ou automatizar seu negócio existente utilizando esse poderoso plugin?

WordPress com certeza conta com algum plugin que pode ajudar a melhorar o seu negócio.

WhatsApp Envie sua dúvida!